O que precisa para não abortar? O comovente testemunho que salvou bebês
07/02/2018 08:34 em acidigital.com

Michelle Ortiz estava prestes a abortar quando uma pessoa lhe disse o que precisava ouvir para desistir e, agora, com o seu testemunho ajuda outras mulheres a salvar a vida dos seus bebês.

A jovem de 23 anos contou a ‘La Contra TV’ que ela “era mais a favor do que contra o aborto”, até “o momento em que tive que viver esta experiência”. Inclusive “acompanhei uma amiga”.

“Eu tinha tudo planejado, ia estudar e trabalhar, não tinha tempo para outra coisa”. Mas, quando descobriu que estava grávida aos 19 anos, “o mundo caiu em cima de mim” e tanto o pai do bebê como a sua mãe lhe disseram para abortar.

Nesse então, Michelle estava afastada de Deus e sentia que não tinha outra saída. Inclusive, havia considerado suicidar-se, devido ao abuso psicológico que sofria do pai da sua filha.

Quando chegou ao local para realizar o aborto, “faltavam 10 minutos para entrar” e sentiu que o Senhor “me enviou esse raio de esperança, essa luz, que para mim tem um nome e se chama Marta. Tem um nome porque sua pergunta foi: ‘O que precisa para não abortar?’”.

“Talvez não era o fato de que eu precisasse de dinheiro, para a menina, não. Foi simplesmente esta pergunta: ‘o que você realmente quer fazer?’ ou essa esperança de ‘você pode. Não deve se sentir obrigada a abortar’”, continuou.

Michelle recordou que começou a chorar. Ao lado estava a “minha amiga, que eu tinha acompanhado quando decidiu abortar”.

A amiga “ficou do meu lado, não me disse nada. Eu estava chorando e ela em silêncio, sem saber o que deveria fazer. Eu acho que era pela situação de ‘ela disse que não vai entrar (para abortar) e eu não fui capaz’. Ela se sentiu muito afetada por ter abortado”.

Depois de decidir ter o seu bebê, Michelle afirmou que ficou mais triste pelo rechaço da sua mãe do que pelo do seu parceiro, porque “ela me conhece, sabe o quanto eu gosto de crianças. Então, eu realmente estava indo contra mim mesma”.

Alguns dias depois de contar aos seus familiares que não tinha abortado, eles disseram “não podemos cuidar de mais uma pessoa. Você aborta ou vai embora”. Ela respondeu: “Eu vou embora”.

A jovem espanhola atualmente é maquiadora profissional. “Eu vou aos eventos, me conhecem e eu não deixei de estudar e me formar desde então. Antes eu não sabia o que queria estudar nem o que queria fazer e, desde que eu tive a minha filha, tenho que seguir crescendo, seguir me superando e já mudei demais. Todo mundo me diz ‘você não é a mesma de antes’”.

“A minha filha é a minha adoração. Na verdade, acho que se eu não tivesse dado à luz, tivesse perdido muito tempo, não teria ficado tão centrada quanto estou agora”, afirmou. Em seguida, indicou que acabou de estudar estética, “apesar de me dizerem ‘como você vai fazer?’”.

Em relação ao seu testemunho, Michelle assinalou que “no momento não sabia que estava fazendo tanto bem quando me escutavam. Quando eu contava, eu não sabia”. Um dia, mostraram-lhe um vídeo no qual compartilhava a sua história “e me disseram ‘olha, quantos bebês você salvou’, e eu não sabia disso”.

“Eu gostaria de me aproximar de todas essas meninas e dizer ‘você é capaz’. Porque é a única coisa que elas realmente precisam”, expressou e acrescentou que, para avançar, “você deve acreditar em si mesma”.

“Você vai perceber que quando faz as coisas bem, outros te agradecerão amanhã. Agora mesmo, para o seu pai, minha filha é sua vida, mas naquele momento ele não queria”, manifestou.

Michelle indicou que em dezembro de 2017 foi junto com a Marta, que a ajuda nos momentos de dificuldades, a uma vigília da Imaculada Conceição. “Vi as pessoas se confessando e tinha dentro de mim este peso de ter pensado em praticar o aborto. Entrei, me confessei e acho que fiquei chorando durante meia hora e, logo depois, quando saí, foi como ‘estou em paz, estou em paz comigo mesma’”.

COMENTÁRIOS
Tradutor / Translator